Culpa I

Estudo do livro “As dores da alma”, ditado pelo espírito Hammed e psicografado por Francisco do Espírito Santo Neto

Esse post foi publicado em Audio books, Estudos e marcado . Guardar link permanente.

4 respostas para Culpa I

  1. Ciro Portela disse:

    Ouvi a mensagem do áudio “Culpa I”. Achei linda. A culpa é um sentimento muito perigoso que pode levar a pessoa a um transtorno mental desesperador, a depressão. Esta doença é considerada pela OMS como o mal do século. As estatísticas mostram que a quantidade de pessoas que tiram a sua própria vida devido ao quadro avançado e não tratado da depressão e muito alarmante. Estima-se que a cada 40 segundos uma pessoa tira sua própria vida no nosso planeta, algo muito triste. A religião tem um papel fundamental no tratamento desta doença, falo por experiência própria.
    Acredito que a questão não está na escolha de uma crença religiosa específica. Mas sim como os homens conduzem esta, o que o áudio explica de forma muito clara. Há cobranças, ao meu ver, dentro de todas as religiões, seja de forma bem clara ou sutilmente, rotulando o que é certo/errado e isto dói, confundi. Na minha casa espírita percebo está cobrança sutil claramente.
    O rótulo do certo/errado nas religiões pode chegar ao extremo através do fundamentalismo e seus dogmas absolutos e indiscutíveis, chegando a extrema violência moral e física.
    Cada um tem o livre arbítrio de escolher o caminho que quer percorrer, ao escolher uma crença religiosa. E esta escolha tem haver, pra mim, com seu adiantamento moral e que muitas vezes parece ser “levado” a uma determinada religião e simplesmente se encanta, e a vida começa a ter mais sentido.
    Não se pode esquecer que mesmo encontrado um caminho espiritual a seguir, seja qual for a instituição religiosa que frequente, serão encontradas dificuldades, pois elas são feitas por irmãos como nós, “criaturas divinas, a procura da perfeição…” de Hammed.
    Muitas religiões se utilizam da Providência Divina para colocar culpar nas pessoas e assim as controlarem mais facilmente. Gostaria de dizer, que acho que a Providência Divina atua nas nossas vidas com certeza, mas que muito que acontece nas nossas vidas é fruto do uso não adequado do nosso livre arbítrio. Pra mim Deus permite que as coisas aconteçam nas nossas vidas pois temos o livre arbítrio de escolhe-las, mas não necessariamente ele quer que guerras, fome… aconteçam, isto faz parte da nossa oportunidade de aperfeiçoamento moral, mesmo que pareça muito duro. Abraço.

    Curtir

    • Bom dia, Ciro. Agradeço e concordo plenamente com sua resposta. Foi Jesus quem nos ensinou que deveríamos fazer a nossa parte, enquanto Deus faz a Dele. Sigamos, confiando e atuando no bem! Você escreve muito bem. Abraços

      Curtir

      • Ciro Portela disse:

        Obrigado. Fico muito feliz de ter amigos com quem possa compartilhar o Espiritismo. Pois sinto muito preconceito das pessoas. As vezes, que me coloquei de alguma forma sobre o assunto, porque ele foi mencionado, levaram na brincadeira. Mas é possível falar a verdade, brincando.
        Parabéns, pelo blog.🌹

        Curtir

  2. Ciro Portela disse:

    Adorei o áudio II. Acabei de ouvi-lo.
    Ao tentar intervir na evolução espiritual de outro irmão, este ato pode causar um forte desconforto em quem pratica-o e em quem recebe a pretensa ajuda. Vale salientar que não nos é concebido esta intervenção, pois cada um tem que seguir seu caminho de acordo com sua evolução espiritual seu momento/sua consciência que mudam de acordo com o tempo e espaço. O que o irmão pode fazer pelo próximo e ajudá-lo, como diz o áudio de forma muito bonita. Ajudar não significa intervir na reforma intima do irmão próximo que sofre ou age de maneira não coerente para si e para com o próximo. Mesmo porque caso insista neste ato, não conseguiria, causando culpa, tanto em sim, como no próximo.
    A culpa causa remorso em quem ofendeu, e este último pode ser o início de uma reparação. Primeiro vem o pensamento, depois a reflexão/consciência do ato em si. posteriormente o sentimento, o qual levado ao coração, o irmão tem a possibilidade da reparação/perdão, um ato de amor/caridade moral. Vale expressar duas frases de Jesus: ” amar ao próximo, como a ti mesmo”, ou seja, na tua propria medida, de acordo com sua evolução espiritual, e “amar ao próximo, como eu vos amei”, Jesus nos ensina o que é amor, como podemos chegar até ele.
    Vale salientar que ao praticar a caridade moral existe duas maneiras de se expressar: uma ficando em silêncio, e outra falando. Quem decidirá isso será o beneficiado. E para praticar a caridade moral é necessário principalmente da sabedoria, que é fruto das relações interpessoais e observação de atos bons e maus. Abraço.

    Curtir

Deixe um comentário

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s